Chantalla Furlanetto

Da Russia até o Alaska

Kamchatka is a beautiful and wild place on this planet - Photo: Gavrilova
Kamchatka is a beautiful and wild place on this planet - Photo: Gavrilova

Languages: English | Portuguese

Toda surfista ama viajar, logo vem a cabeça ilhas tropicais, surfar de bikini o dia inteiro e pegar as ondas mais perfeitas, mas em maio de 2017 foi diferente, fui convidada pelo Canal Off, canal de tv brasileiro, a embarcar na experiencia mais extrema da minha vida como surfista, eu e mais 3 surfistas Brasileiros (Mickey Bernadoni, Aline Adisaka e Stephan Figueiredo) fomos para Kamchatka na Russia, la embarcamos em um veleiro de 72 pés para procurar ondas desconhecidas, começamos explorando o sul dessa península, achamos poucas ondas boas pelo caminho, mas conseguimos surfar, o bom de estar em um veleiro é que podemos chegar a lugares que pela terra as pessoas jamais chegariam.
Sempre parávamos em baias paradisíacas e lugares inóspitos, e encontramos pelo caminho baleias orcas, leões marinhos e ursos, muitas cidades abandonadas que foram construídas durante a guerra fria, muita natureza e montanhas cobertas pela neve. Depois de explorar a região de Kamchatka na Russia seguimos viagem fazendo uma travessia rumo as Ilhas Aleutas no Alaska.

 

All smiles after our first surf session in Kamchatka, Russia - Photo: Stephan Figueiredo
All smiles after our first surf session in Kamchatka, Russia - Photo: Stephan Figueiredo
  A beautiful day in Kamchatka surfing fun, freezing waves on my longboard - Photo: Gavrilova
A beautiful day in Kamchatka surfing fun, freezing waves on my longboard - Photo: Gavrilova
 
O objetivo da viagem era surfar qualquer onda que encontrássemos pelo caminho, tinhamos todos os tipos de pranchas, só precisávamos encontrar as ondas.
Desde que subi pela primeira vez na minha prancha, jamais passou pela minha cabeça viver uma experiencia como essa, lembro do primeiro dia de surf, estava um vento de 40 nós, extremamente gelado, as ondas não estavam boas, porem por ser o primeiro dia não sabíamos se encontraríamos algo melhor pelo caminho e fomos surfar, a cada mergulho parecia que o cérebro ia congelar, surfar em lugares gélidos exige de você um equipamento certo e muito preparo físico, eu surfava com uma roupa 6,5mm, luva, bota, gorro…tudo tão novo mas que me deixava muito conectada com o agora, lembro-me de não conseguir surfar bem mas que quando sai do mar olhei ao meu redor e me senti emocionada e feliz, sabia que aquela era a viagem para contar para os meus netos, aquela era a viagem que iria fazer eu crescer como pessoa.
Depois de algumas semanas explorando Kamchatka iniciamos o momento mais temido dessa expedição, a travessia até o Alaska pelo furioso mar de Bering, depois de passar por uma tempestade assustadora chegamos as Ilhas Aleutas depois de 9 dias sem ver terra. Foram 9 dias trabalhando no veleiro, fazendo turnos, me sentindo enjoada por causa do balanço do mar, comendo enlatados e sem banho.
  The crossing was extremely difficult, but the view of this beautiful bay made it all worth it - Photo: Stephan Figueiredo
The crossing was extremely difficult, but the view of this beautiful bay made it all worth it - Photo: Stephan Figueiredo
 
Chegando as Aleutas fomos recepcionados por uma natureza bem diferente da Russia, as montanhas já não tinham muita neve, mas raramente viamos o sol, foi muito bom ver terra depois de tantos dias em alto mar, foi como um renascimento! Eu me sentia muito enjoada no veleiro, por esse motivo sempre que eu tinha a oportunidade de ir para a terra, eu saia andando para explorar o lugar, lembro-me da primeira baia que fomos após a travessia, eu subi muito alto na montanha, olhei ao meu redor e percebi que valeu a pena, o preço para chegar a lugares inexplorados e da maneira que chegávamos era enfrentar o balanço do mar e as tempestades que vinham pelo caminho.
Encontramos algumas ondas pelo caminho e as Ilhas Aleutas nos mostraram muitos lugares com potencial de ondas perfeitas, encontramos muitas tempestades pelo caminho e na maioria das vezes ficávamos ancorados nos protegendo em alguma baia, infelizmente não conseguimos surfar as melhores ondas, mas sempre que tinha uma onda pelo caminho nos parávamos e aproveitávamos aquele momento único e toda essa experiencia nos faz querer sempre estar em busca de novos desafios e nos motiva a viver em busca de algo novo. A expedição virou um programa de televisão e foi premiada no New York Film Festivals.
 

 

_ _ _ _ _
Author: Chantalla Furlanetto
Photographers: Mickey Bernardoni, Stephan Figueiredo, Gavrilovany
The Crew (Aline Adisaka, Mickey Bernardoni and Stephan Figueiredo and me ) with our Russian surfer and guide Anton Morozov in Kamchatka - Photo: Gavrilova
The Crew (Aline Adisaka, Mickey Bernardoni and Stephan Figueiredo and me ) with our Russian surfer and guide Anton Morozov in Kamchatka - Photo: Gavrilova
    Happy day in the sailboat at the Bering Sea after the cross from Russia to Alaska - Photo: Mickey Bernardoni
Happy day in the sailboat at the Bering Sea after the cross from Russia to Alaska - Photo: Mickey Bernardoni
    Aline and I fishing for dinner in the Aleutian Islands - Photo: Mickey Bernardoni
Aline and I fishing for dinner in the Aleutian Islands - Photo: Mickey Bernardoni
    Paddling around a beautiful bay in the north of Kamchatka, Russia - Photo: Gavrilova
Paddling around a beautiful bay in the north of Kamchatka, Russia - Photo: Gavrilova
    We saw many bears in Kamchatka, Russia - Photo: Stephan Figueiredo
We saw many bears in Kamchatka, Russia - Photo: Stephan Figueiredo
    Mickey and I walking for another surf session in Kamchatka - Photo: Gavrilova
Mickey and I walking for another surf session in Kamchatka - Photo: Gavrilova
   
Chantalla Furlanetto's Russia to Alaska expedition was also the subject of a TV show produced by Cinemauro and directed by Sylvestre Campe for Canal OFF in Brazil.

More Resources & Information...

Saltwater & Light  |  Surf & Lifestyle Photos  |  Surf Videos  |  Blog